Página Inicial

Casos confirmados de Esquistossomose (*ver notas) por local de notificação - Minas Gerais

Seleções Disponíveis

















  
Tabela com bordas Texto pré-formatado Colunas separadas por ";"

Fonte: SINAN/CPDE/DASS/SVEAST/SubVPS/SESMG
Notas:
  • Períodos Disponíveis ou período - Correspondem aos anos de notificação dos casos.
  • Para tabular dados epidemiológicos de um determinado ano selecione na linha a variável de interesse, na Coluna Ano dos 1ºs sintomas; em Períodos Disponíveis assinale o ano inicial da série e todos os posteriores até o ano atual (p/ incluir casos notificados com atraso) e em Seleções Disponíveis assinale os anos dos 1ºs sintomas (ex: nº de casos com início de sintomas 2007: selecione na linha Município de notificação, na Coluna Ano de 1ºs sintomas, em Períodos disponíveis 2007 até o ano atual e em Seleções assinale Ano de 1ºs sintomas 2007).
  • Conforme Resolução SES/MG nº 1481, de 16/05/2008, definiu-se que todos os casos de esquistossomose deveriam ser notificados no SINAN, a saber: Área Endêmica: a) Todos os casos identificados pela rede primária de saúde ou através do inquérito do Programa de Controle da Esquistossomose; b) A investigação deveria ser realizada para os casos de esquistossomose grave tanto na fase aguda quanto crônica. Área Não Endêmica: a) Todos os casos identificados; b) Investigação de todos os casos.
  • Conforme Portaria GM/MS nº 104, de 25/01/2011, normatizou-se que os casos de esquistossomose nas áreas endêmicas deveriam ser registrados no Sistema de Informação do Programa de Vigilância e Controle da Esquistossomose - SISPCE e os casos de formas graves deveriam ser registrados no SINAN, sendo que, nas áreas não endêmicas, todos os casos deveriam ser registrados no SINAN.
  • Dados considerados em 16 de julho de 2018, portanto sujeitos a alterações.

  • Elaboração: Diretoria de Análise de Situação de Saúde/SVEAST